facebook button

ATIVIDADES PARA MIÚDOS E GRAÚDOS

aprender ciência
em todo o lado!

  
primeiro contacto

15 - 18 ANOS

Um pouco
mais além

 

Histórias com Ciência
Nada como um bom filme para nos transportar para um mundo diferente e cheio de imaginação! Sabias que existem diversos filmes inspirados em factos e conceitos científicos? Deixamos-te alguns!

Away from her 

Away from her

Hoje a Biocas vai falar-te do filme “Away from her”, realizado por Sara Polley, Canadá, 2006

O filme

Neste filme Canadiano, o casal de reformados Anderson, juntos há 45 anos, é confrontado com uma grande mudança na sua vida como casal. A esposa de Grant Anderson, Fiona Anderson, começa a apresentar sintomas de demência.

Fiona, ainda consciente, toma a decisão de ser acolhida num lar para pessoas com a doença de Alzheimer. Grant apoia-a, embora, com algum sofrimento e, passa trinta dias impedido de a visitar. Durante este tempo Fiona e Aubrey, um paciente mudo em cadeira de rodas, desenvolvem uma amizade que resulta num envolvimento muito forte. Grant assiste à crescente proximidade deles nas suas visitas diárias, até que, numa dessas visitas, desesperado, agarra na sua mulher e diz-lhe o que são, ou melhor, o que foram. Ela parece não perceber e diz, como todos os dias, “amanhã vejo-te, suponho”.

Já no final do filme, numa despedida emocionante, Grant após encaminhar Aubrey para junto de Fiona, despede-se da sua mulher com um abraço. Neste momento, envolta nos seus braços, Fiona recorda-se do marido.

Os factos

A doença de Alzheimer (DA) é uma doença neurológica progressiva e neurodegenerativa, que se caracteriza pela perda de neurónios em regiões específicas do cérebro. O sintoma mais comum, numa escala de sintomas que varia entre pequenos esquecimentos à perda de personalidade, é a demência. A principal característica da demência é o défice nas capacidades cognitivas e emocionais adquiridas, interferindo na vida diária dos seus portadores. Esta doença tem grande impacto, não apenas na vida social e ocupacional do doente, mas também na dos seus familiares.

Os mecanismos subjacentes a este acontecimento ainda não estão completamente esclarecidos. No entanto, estudos têm sugerido que a DA pode estar relacionada com a acumulação de placas beta-amilóide (pouco solúveis) e emaranhados compostos por fibras de amilóide tau, que provocam perda de sinapse e neurodegeneração, acabando por causar danos cognitivos e na memória.

As alternativas terapêuticas disponíveis são bastante escassas, não existindo cura para a doença. O objetivo da terapêutica é retardar a evolução e preservar por mais tempo possível as funções intelectuais, essencialmente através da utilização de dois grupos de drogas: os inibidores das colinesterases e os antagonistas dos recetores de glutamato. Os métodos de diagnóstico atualmente mais usados e estandardizados recorrem à ressonância magnética (MRI magnetic resonance imaging), tomografia por emissão de positrões (PET positron emission tomography) e líquido cefalorraquidiano (CSF cerebrospinal fluid).

A DA continua a representar um desafio intenso para os investigadores, que têm como objetivo encontrar um modo de inverter o processo degenerativo, ou de o reduzir de modo a que a DA se torne crónica e controlável.

Aeon Flux 

Aeon Flux

Hoje a Biocas vai falar-te do filme de ficção científica “Aeon Flux”, realizado por Karyn Kusama, EUA, 2005.

O filme

Aeon Flux é um filme de ficção científica, que decorre na cidade de Bregna em 2415 e aborda o tema da clonagem. Aeon faz parte de um grupo rebelde chamado “The Monicans”, que tinham como objetivo matar Trevor Goodchild e acabar com o seu problemático regime. Voltando atrás no tempo, em 2011, segundo Trevor, a clonagem seria a única alternativa para curar a infertilidade, causada por uma vacina contra um vírus que, dizimou 99% da população mundial, nesse mesmo ano. Entre 2415 e 2011 houve sete gerações de clones, à exceção de Aeon que aparece pela primeira vez 400 depois. Neste filme os indivíduos são sempre os mesmos ao longo das gerações, tanto fisicamente como psicologicamente. Era necessário uma cura para a infertilidade! Una, irmã de Aeon fazia parte do grupo de mulheres que tinham engravidado naturalmente e, o seu filho seria “o primeiro bebé em 400 anos”. O aparecimento de Aeon permite, salvar a humanidade, acabar com o sistema de clonagem e com as barreiras da cidade.

Os factos

Quando se fala em clonagem, ocorre-nos de imediato a referência à ovelha Dolly, o primeiro mamífero a ser clonado, estávamos no ano1996. A clonagem de um organismo, é teoricamente possível e resultaria sem problemas. Por definição, um clone é uma linha de células geneticamente idênticas, ou seja, com o mesmo ADN, derivadas de uma célula inicial. Usando a ovelha Dolly como referência, o ADN, contido no núcleo de uma célula somática (célula não envolvida em processos reprodutivos, por exemplo, células dos dedos), foi colocado num óvulo (célula germinativa envolvida em processos reprodutivos) cujo núcleo tinha sido previamente retirado, desnucleado. Obteve-se assim uma célula com o número de cromossomas (2n), tal como resultaria da fusão do óvulo (n) com o espermatozoide (n), onde ocorre o emparelhamento dos cromossomas homólogos. Esta célula inseminada artificialmente permite o desenvolvimento embrionário e todo o ciclo até ao nascimento. Mas a clonagem não se resume apenas a criar cópias de indivíduos. Para além da clonagem reprodutiva (já abordada anteriormente), existe a clonagem animal e clonagem terapêutica . A clonagem animal, tem como aplicações: manipulação genética de gado, aumentando assim a resistência a doenças ou para melhoramentos da raça; tentar evitar a extinção de espécies e produção de proteínas terapêuticas. Por fim, a clonagem terapêutica: após fertilização in vitro desenvolve-se o blastocisto, que contém células estaminais, que apresentam elevado potencial para a cura de várias doenças, especialmente de doenças degenerativas e cancro.

Nota: Este conteúdo foi proposto e elaborado com a contribuição de Leonardo Silva.

Encontro de irmãos 

Encontro de irmãos

Hoje a Biocas vai falar-te do filme “Rain Man” (Encontro de irmãos), um filme norte-americano, realizado por Barry Levinson em 1988.

O filme

O filme retrata a história de Raymond, um autista com síndrome de Asperger, que vive num hospital psiquiátrico, até ao momento em que herda uma fortuna deixada pelo seu pai. O seu irmão Charlie, que desconhecia a existência de Raymond, depois do falecimento de seu pai, resolve procurar o irmão autista, tendo como único interesse a herança. Raymond é sequestrado do hospital psiquiátrico pelo irmão, ambos viajam para Los Angeles para se conhecerem melhor. Ao longo da viagem, Raymond manifesta algumas das características relacionadas com o autismo, a personalidade de Raymond é marcada por diversas reações (gritos, insistências, etc.) quando confrontado com situações inesperadas. No entanto, também apresenta características típicas de uma pessoa com inteligência acima da média, como competências em matemática e uma memória excelente.

Ao longo do filme Charlie envolve-se profundamente com Raymond, compreendendo as suas limitações e criando laços afetivos com o irmão, deixando de ser o dinheiro, a sua prioridade.

Os factos

O autismo é uma perturbação global do desenvolvimento caracterizada por défices na interação social, comunicação, comportamentos repetitivos e interesses restritos. O grau de comprometimento apresenta intensidade variável: desde quadros mais leves, como o síndrome de Asperger (no qual não há comprometimento da fala e da inteligência), até formas graves em que o paciente se mostra incapaz de manter qualquer tipo de contato interpessoal, sendo portador de comportamentos agressivos e retardamento mental. Os sinais e sintomas manifestam-se antes dos 3 anos de idade, o atraso ou ausência total do desenvolvimento da linguagem é geralmente o primeiro sinal de alarme para a perturbação autística. Esta perturbação é, quatro a cinco vezes mais frequente no sexo masculino.

Não existem evidências suficientes sobre a sua causa, no entanto pensa-se que problemas cromossómicos, genéticos, metabólicos e mesmo doenças transmitidas/adquiridas durante a gestação, durante ou após o parto, podem estar associados diretamente ao autismo.

Os investigadores acreditam que o autismo surge, na maioria dos casos, de uma combinação de fatores genéticos e ambientais. Mutações em vários genes podem aumentar a suscetibilidade de uma criança para o autismo ou pode levar à manifestação de sintomas específicos da doença. As mutações presentes nestes genes, juntamente com diversos fatores ambientais podem ser responsáveis pelo desencadeamento da doença. Vários fatores ambientais foram associados ao autismo, desde infeções virais à exposição a substâncias químicas, como mercúrio e chumbo.

O diagnóstico do síndrome é essencialmente clínico. É feita uma análise ao comportamento e ao histórico do paciente, baseando-se nos critérios estabelecidos por DSM-IV (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders) e ICD-10 (International Classification of Diseases).

Não existe um tratamento padronizado que possa ser utilizado. Cada paciente exige um acompanhamento individual, de acordo com as suas necessidades e limitações.

Fora de controlo 

Fora de Controlo

Hoje a Biocas vai falar-te sobre o filme “Fora de Controlo” (Outbreak, realizado por Wolfgang Petersen, EUA, 1995). Além de te contar um pouco da história do filme, vai explicar-te alguns conceitos e ideias abordados.

O filme

Em 1967 é descoberto, no Zaire, um vírus hemorrágico (semelhante ao verdadeiro Ébola) ao qual é dado o nome de Motaba. Este vírus provoca a liquefacção dos órgãos internos, graves hemorragias, e tem uma taxa de mortalidade de 100%. 27 anos depois, o Motaba chega aos Estados Unidos, à localidade de Cedar Creek na Califórnia, transportado por um macaco. Rapidamente há pessoas que começam a ficar infectadas e chegam à cidade elementos do “Center for Disease Control and Prevention” (CDC) e do “United States Army Research Institute of Infectious Diseases” (USARIID) para investigar este caso, estabelecer uma quarentena e tentar encontrar uma vacina.

Os factos

Neste filme é abordado o tema da propagação de um vírus entre a população (ainda que o faça de uma forma alarmista e exagerada à boa maneira de Hollywood). Eis um assunto estudado pela epidemiologia – a epidemiologia é o estudo da origem das doenças e da sua distribuição entre as populações humanas. Inicialmente, a epidemiologia estudava apenas as doenças transmissíveis, mas hoje em dia engloba o estudo de todos os fenómenos relacionados com a saúde das populações.

E o que é um vírus? Os vírus são parasitas intracelulares, muito pequenos e infecciosos, que não respiram, não se movimentam e não crescem. O genoma de um vírus é composto por ADN ou ARN que comanda a replicação viral por síntese de componentes dentro da célula hospedeira. Os novos vírus são formados por associação desses novos componentes, processo que ocorre igualmente dentro da célula hospedeira.

Os vírus são altamente imunogénicos e induzem dois tipos de resposta imunitária; humoral e celular. A resposta humoral é responsável por bloquear a infecciosidade do vírus (neutralização). Os anticorpos são produzidos em resposta aos componentes da superfície de vírus intactos bem como em resposta a componentes internos de vírus destruídos. São também produzidos em resposta a componentes à superfície de células infectadas ou libertados por estas células. A resposta celular (mediada principalmente pelos linfócitos T citotóxicos) mata as células infectadas que expressam proteínas virais à superfície.

Uma das características da infecção com o vírus Ébola, por exemplo, é a destruição do sistema imunitário. A maioria dos doentes infectados com o vírus não conseguem desenvolver uma resposta imunitária adequada. Uma das primeiras falhas no sistema imunitário é a incapacidade de activar as células T no início da infecção, o que resulta numa resposta humoral insuficiente (que inclui anticorpos e citocinas). Outra consequência da não activação adequada das células T é a apoptose dos leucócitos. O vírus causa danos graves nos nódulos linfáticos, baço e medula óssea. Verificou-se que os doentes que sobrevivem à infecção pelo Ébola foram capazes de desenvolver mais fortemente respostas de anticorpos nos estádios iniciais da infecção, do que os doentes que sucumbiram à doença. O papel do sistema imunitário inato é então considerado fundamental nos primeiros dias de infecção de modo a controlar a replicação viral.

GATTACA 

GATTACA

O Filme que a Biocas sugere chama-se “GATTACA” (1997) e aborda a temática da manipulação genética.

O filme

No Filme um dos pilares da sociedade é a manipulação genética. A generalidade da população é fruto do engenho da manipulação genética, são escolhidas as características mais vantajosas de modo a que todos sejam indivíduos “superiores”- saudáveis, fortes e resistentes. Vincent (Ethan Hawke) nasce no seio desta sociedade de uma forma natural, sem ter sido concebido laboratorialmente e sem que as suas características fossem alvo de selecção. Durante todo o seu crescimento Vincent é alvo de discriminação e vê-se perante uma série de obstáculos a cada tarefa devido à sua identidade genética ser considerada “inferior”. A trama retrata o percurso de vida de um homem com sonhos numa sociedade que o discrimina e o impede de seguir o seu rumo e as estratégias que este adopta para conseguir atingir os seus objectivos.

Os factos

A engenharia genética é um ramo científico em expansão que permite a manipulação dos genes num organismo fora do seu processo reprodutivo natural. A engenharia genética oferece poderosas ferramentas para manipulação genética, nomeadamente no que toca à escolha de características fenotípicas dos indivíduos. Neste filme é abordada esta temática de um modo muito interessante: numa sociedade futura em que é norma a concepção laboratorial de indivíduos com escolha de características perfeitas e que em cada canto é revista a identidade genética de cada indivíduo vive um indivíduo geneticamente “inferior”, fruto de concepção natural e com uma identidade genética não perfeita que é alvo de descriminação e as oportunidades que tem são limitadas. Este filme pode servir para a reflexão das questões éticas, morais e sociais da manipulação genética e tema para a discussão das vantagens e desvantagens das abordagens da engenharia genética.

Juventude Inquieta 

Juventude Inquieta

Hoje a Biocas vai falar-te sobre o filme “Juventude inquieta” (Rumble fish, realizado por Francis Ford Coppola, EUA, 1983). Além de te contar um pouco da história do filme vai falar-te sobre uma anomalia na percepção visual (que uma das personagens do filme possui) que é caracterizada pela incapacidade de diferenciar todas ou algumas cores – o Daltonismo.

O filme

O filme tem como cenário um bairro americano de uma cidade industrial repleta de violência, gangs e delinquência. Este filme mostra o confronto de gerações e uma juventude decadente, sem perspectivas, em busca de rumo e objectivos. Neste ambiente cresce Rusty James (interpretado por Matt Dillon), que cultiva a mística dos rebeldes de moto, nos anos 50 e 60, e que vive obcecado com a ideia de se tornar igual ao seu irmão mais velho, líder do principal gang da cidade – o “Motorcycle Boy” (interpretado por Mickey Rourke). Este obstinado motociclista é um rapaz sonhador e perturbado, que partiu para a Califórnia na tentativa de se libertar da sua vida angustiante.

A sua falta de rumo é simbolizada pelo daltonismo (que o faz ver tudo a preto e branco) e por uma ocasional surdez que, em conjunto, o fazem viver numa realidade obscura. Como a história se desenvolve em torno da óptica desta personagem, todo o filme é a preto e branco (à excepção dos peixes que aparecem dentro de um aquário). Em momentos chave, o realizador optou por utilizar cores de forma a fazer um paralelismo entre a vida destes jovens arruaceiros e uma espécie de peixes (cujo nome é o título original do filme - Rumble Fish) que têm de permanecer isolados uns dos outros para não se atacarem até à morte (uma referência óbvia à situação vivida pelos jovens daquela pequena cidade). As imagens captadas a preto e branco, a presença constante de nuvens e de fumo, o jogo de luz e sombras transformaram este filme numa experiência visual de referência.

Os factos

Este filme, ainda que de forma simbólica, faz alusão a uma das anomalias fenotípicas mais comuns, determinadas por genes recessivos localizados no cromossoma X – o Daltonismo. O Daltonismo (também designado de discromatopsia ou discromopsia) é uma perturbação da percepção visual que pode resultar de lesões ou ser hereditária, e que pode ser de vários tipos: desde a troca de cores, à dificuldade de distinção entre cores (por exemplo, entre o verde e o castanho) e também a visão acromática (consegues imaginar o mundo apenas a preto, branco e cinzento tal como a personagem do Motorcycle Boy?).

Este distúrbio era desconhecido até ao século XVIII e recebeu o nome de daltonismo em homenagem a John Dalton (químico e físico inglês que desenvolveu a teoria atómica), que foi o primeiro cientista a estudar esta anomalia de que ele próprio era portador. Uma vez que esta anomalia está geneticamente ligada ao cromossoma X, ocorre mais frequentemente entre os indivíduos do sexo masculino (pois, no caso das mulheres, ambos os cromossomas X terão de possuir o gene anómalo). Os portadores do gene que determina o daltonismo apresentam dificuldade na percepção de determinadas cores primárias, como o verde e o vermelho (o que afecta a percepção das restantes cores do espectro). Esta perturbação é causada por ausência total ou menor número de alguns tipos de cones (células existentes na região central da retina, responsáveis pela visão das cores).

Apesar dos inconvenientes que lhe estão associados, o daltonismo pode representar uma vantagem evolutiva sobre os indivíduos de visão normal (tal como foi descrito num artigo publicado pela BBC Online). Uma pesquisa realizada na Universidade de Cambridge demonstrou, inclusivamente, que algumas formas de daltonismo podem proporcionar uma visão mais aprimorada de algumas cores. Por exemplo, durante a Segunda Guerra Mundial descobriu-se que os soldados daltónicos tinham mais facilidade em detectar camuflagens ocultas na vegetação. De forma a perceberes melhor de que forma, ao nível da genética, o daltonismo é transmitido hereditariamente, propomos que leias as informações que constam da secção seguinte, em “Vamos falar de “.

Melhor É Impossível 

Melhor É Impossível

Hoje a Biocas vai falar-te do filme “Melhor É Impossível”, dirigido por James L. Brooks, EUA, 1997.

O filme

O filme conta a história de um escritor de romances, Melvin Udall que mora sozinho e que sofre de transtorno obsessivo compulsivo (TOC), apresentando-se como uma pessoa neurótica, sarcástica e homofóbica. Melvin apresenta uma rotina marcada por muitos rituais, come todos os dias no mesmo restaurante, na mesma mesa e é sempre atendido pela mesma empregada (Carol) e por diversos conflitos, em especial com o seu vizinho Simon e o seu cão (Verdell), um dos grandes motivos pelo desentendimento entre os dois.

Após um violento assalto, Simon é hospitalizado e Melvin fica responsável por cuidar do seu cão Verdell. A situação inesperada transforma o desprezo inicial em sentimentos que o escritor desconhecia, sendo o acontecimento o começo de uma grande amizade.

Ao longo do filme Melvin apaixona-se por Carol, os sintomas da doença diminuem significativamente e este tenta ser uma pessoa melhor, passa a ser mais simpático, com o objetivo de agradar a Carol. O amor de Melvin por Carol acaba por ser correspondido e Simon ganha a simpatia e o carinho do escritor depois de muitos conflitos.

Os factos

O Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) é uma patologia psiquiátrica, que se caracteriza pela presença de pensamentos incontroláveis e indesejáveis que causam ansiedade (obsessões) e/ou comportamentos repetitivos e rituais mentais (compulsões), que afeta aproximadamente 2 a 3% da população em geral.

As obsessões são involuntárias, são pensamentos aparentemente incontroláveis, imagens ou impulsos que causam angústia, sofrimento pessoal e quebra no rendimento.

Esses pensamentos obsessivos são geralmente preocupantes e perturbadores, condicionam a vida, as escolhas, os ritmos, as preferências, o estado de humor e as atitudes. As compulsões são comportamentos, gestos, rituais ou atitudes muitas vezes iguais e repetitivas, conscientes e quase sempre incontroláveis. Geralmente, as compulsões são executadas numa tentativa de eliminar as obsessões. Por exemplo, se o indivíduo apresenta medo de uma contaminação, poderá desenvolver elaborados rituais de limpeza.

Um dos aspetos mais dramáticos desta perturbação é o facto de, o indivíduo reconhecer que as suas ações compulsivas são ilógicas e que o conteúdo dos seus pensamentos obsessivos é maioritariamente, absurdo e sem sentido.

Na maioria dos casos, as obsessões começam a partir de um ataque de pânico. Estas situações, ao criarem um medo extremo, desenvolvem um mecanismo mental de defesa perante o que provocou o ataque de pânico, e o medo inconsciente de que este evento ocorra novamente desenvolve um estado de ansiedade que provoca as obsessões.

Estudos com PET (Positron Emission Tomography) revelaram que as pessoas com TOC possuem atividade cerebral diferente das pessoas sem o transtorno, observando-se em caso de doença um funcionamento excessivo em algumas áreas cerebrais. Sabe-se que o neurotransmissor serotonina está envolvido na formação dos sintomas obsessivo-compulsivos e acredita-se que as pessoas que têm uma predisposição para a doença reagem excessivamente ao stresse, originando os pensamentos obsessivos, que por sua vez provocam mais stresse.

O tratamento da patologia envolve a combinação de fármacos e psicoterapia. Os medicamentos utilizados são os antidepressivos e a psicoterapia mais estudada é a terapia comportamental, através da qual o paciente é estimulado a controlar os seus pensamentos obsessivos e rituais compulsivos.

Aeon Flux 

Medidas Extraordinárias

Hoje a Biocas vai falar-te do filme “Medidas Extraordinárias” (Extraordinary Measures, realizado por Tom Vaughan, EUA, 2010).

O filme

A trama retrata a luta de um casal na busca de uma cura para dois dos seus três filhos que sofrem de uma doença genética rara, a doença de Pompe. Quando o desânimo e a falta de esperança imperam na família descobrem um cientista que desenvolveu uma teoria base de uma terapia promissora para a doença de Pompe. Ai começa uma aventura entre vários mundos díspares que se cruzam: o mundo científico, empresarial e emocional.

Os factos

A temática deste filme centra-se numa doença genética rara, a doença de Pompe. Mas o que é afinal uma doença genética? Uma doença genética revela-se quando há qualquer alteração a nível genético que conduza a distúrbios. A doença de Pompe abordada neste filme é uma doença resultante do distúrbio numa enzima, α-1,4 glicosidase, responsável pela degradação de um açúcar, o glicogénio, nos lisossomas. Mutações num gene impedem a produção desta enzima o que resulta na acumulação deste açúcar nos tecidos, nomeadamente no coração, no músculo respiratório e no músculo esquelético. As consequências clínicas desta doença são insuficiência respiratória, enfraquecimento muscular (miopatia) levando à morte precoce dos pacientes.

Dallas 

O Clube de Dallas

Hoje os Biocas vão falar-te do filme “O Clube de Dallas”, um filme de drama de 2013 dirigido por Jean-Marc Vallée, EUA.

O filme

O filme é baseado na vida de Ron Woodroof, um eletricista de Dallas que, em 1985 foi diagnosticado com o vírus de VIH/SIDA, durante uma das épocas mais obscuras da doença. Após um período inicial de total negação da doença, começa a ser tratado com o antiviral AZT, o único medicamento autorizado, que quase o conduz à morte. A partir desse momento decide procurar tratamentos alternativos noutras partes do mundo, independentemente da possível ilegalidade do seu uso nos EUA. É desse modo que, com a ajuda da Dra. Eve Saks (Jennifer Garner), a sua médica, e de Rayon (Jared Leto), um travesti também infetado, que Ron cria o Clube de Dallas (Dallas Buyers Club), cujo objetivo é fornecer os mesmos medicamentos a outras pessoas na mesma situação. O sucesso é de tal forma surpreendente que acaba por chamar a atenção das companhias farmacêuticas que, por razões económicas, começam a olhar para o Clube de Dallas como uma verdadeira ameaça ao seu império.

O filme retrata um drama biográfico, inspirado na história verdadeira de Ron Woodroof e que foi tema de um artigo do jornalista Bill Minutaglio, publicado no jornal “The Dallas Morning News", em Agosto de 1992.

Os factos

A SIDA (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) é provocada pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH). No espaço da Europa Ocidental, Portugal continua a apresentar uma das mais elevadas incidências de infeção por VIH, apesar de se observar uma tendência favorável de descida no número de novos casos (1941 diagnosticados em 2007 e 1518 diagnosticados em 2010).

O VIH é um vírus que ataca de forma progressiva o sistema imunitário destruindo determinadas células, os linfócitos T CD4+. Estas células são essenciais para o sistema imunitário, na proteção do organismo contra agentes patogénicos. A função deficiente do sistema imunitário, originado pelo VIH, provoca um aumento da suscetibilidade a outras infeções. O estado avançado da infeção, com perda elevada das células do sistema imunitário (linfócitos TCD4+) denomina-se de SIDA. Esta síndrome é constituída por um conjunto de sintomas e manifestações de doença que surgem devido à falência do sistema imunitário.

Existem dois tipos de VIH, o VIH-1 e o VIH-2, que têm características próprias, incluindo a sua virulência para o sistema imunitário (VIH-1 é mais agressivo que o VIH-2). O VIH-1 é o responsável pela pandemia a nível mundial, enquanto VIH-2 está envolvido na epidemia localizada em países da África Ocidental e por um número reduzido de casos fora de África, que viveram ou tiveram ligações com aquela região africana.

A transmissão da doença pode acontecer de três formas: relações sexuais; contacto com sangue infetado ou de mãe para filho, durante a gravidez, no parto ou através da amamentação.

O tratamento da infeção pelo VIH passa pela administração de fármacos responsáveis pela inibição de passos específicos do ciclo de vida do vírus. Este tratamento permite diminuir a evolução da doença através da prevenção da destruição do sistema imunitário, no qual as células CD4 têm um papel muito importante. A terapêutica anti-retrovírica modificou a história natural desta doença permitindo que atualmente seja considerada uma doença crónica, bem controlada. No entanto, para que isso seja possível, é fundamental que o tratamento seja cumprido da forma correta.

O guardião de memórias 

O guardião de memórias

Hoje a Biocas vai falar-te do filme “O Guardião de memórias”, dirigido por Mick Jackson, EUA, 2008.

O filme

A história passa-se no inverno de 1964, David Henry é um ortopedista, casado com Norah Henry, que estão nas vésperas do nascimento dos seus filhos gémeos. No entanto, uma violenta tempestade obriga David a realizar o parto, com a ajuda da sua fiel assistente, Caroline Gill. Durante o parto, David apercebe-se de que o menino, Paul, é saudável, no entanto, a menina, Phoebe, é portadora da síndroma de Down. Conduzido por um impulso e por dolorosas lembranças do passado, David Henry toma uma decisão que mudará para sempre a vida de todos e o assombrará até à sua morte. David, decide entregar a sua própria filha, e pede a Caroline, que a leve para a adoção, mencionando à esposa que a menina não sobreviveu ao parto. Caroline, por sua vez, sensibilizada pela fragilidade do bebé, resolve criá-la sozinha. Ao longo dos anos, Caroline dedica-se a promover uma vida decente e sem preconceitos para Phoebe, enquanto que o caos se instala na família Henry. David sente-se culpado pelo segredo que guarda, Norah submete-se a uma vida de álcool e pequenas traições, para superar a suposta perda da filha, e no meio dos constantes desentendimentos dos pais, Paul cresce incompreendido e rebelde.

Os factos

A síndrome de Down ou trissomia 21 é uma cromossomopatia, isto é, uma doença causada por alterações cromossómicas numéricas ou estruturais, sendo a aneuploidia mais frequente na população, com uma prevalência de 1/660 recém-nascidos. Cerca de 93 - 95% dos casos são devidos à presença de um cromossoma 21 supranumérico num dos gâmetas (trissomia livre), originado por não-disjunção meiótica (cariótipo 47,XX,+21 ou 47,XY,+21). O cromossoma supranumérico, em 90% dos casos, é de origem materna. Outra causa responsável pela patologia é a presença de translocações, que se encontram presentes em cerca de 3% a 4% das situações. As translocações ocorrem geralmente entre um cromossoma 21 e um dos cromossomas 13, 14, 15 ou 22, ou ainda entre os dois cromossomas 21. O mosaicismo é um acontecimento pós-zigótico, responsável por 2,5% dos casos. A origem mais comum de mosaicismo consiste na perda do cromossoma 21 supranumérico, em algumas células de um embrião inicialmente trissómico.

A síndrome de Down é uma combinação específica de características fenotípicas que incluem retardamento mental e características faciais típicas. O atraso mental é observado em todos os doentes e o crescimento das crianças é lento, provocando uma baixa estatura e uma maturação óssea retardada. O desenvolvimento da linguagem e a capacidade motora é, tipicamente, muito mais lenta, devido à frequente manifestação de hipotonia muscular.

Através do aspeto físico do bebé, após o nascimento, pode suspeitar-se da síndrome de Down, no entanto, a confirmação do diagnóstico implica sempre um estudo citogenético. A esperança de vida dos doentes é menor do que a população em geral, sendo influenciada pela gravidade das lesões.

Atualmente, quando existe suspeita de síndrome de Down, e após o aconselhamento genético, existem protocolos de rastreio, baseados em doseamentos no soro materno e na ecografia, para a deteção da doença em determinados períodos da gravidez. Se estes resultados forem anormais, a grávida poderá optar pela realização de testes adicionais, como uma biopsia de vilosidades coriónicas ou uma amniocentese, que permitirão confirmar ou excluir alterações nos cromossomas do feto.

Para a minha irmã 

O Dia depois de Amanhã

A Terra sofre alterações climáticas que modificam drasticamente a vida da humanidade. O meteorologista Jack Hall (Dennis Quaid), nos seus estudos, prevê que o aquecimento global pode originar uma nova Idade do Gelo. Uma súbita e violenta mudança na temperatura global causa extremas perturbações em todos os cantos da Terra; inundações, tempestades de neve, tornados e temperaturas de uma magnitude que nunca antes haviam ameaçado o Planeta. No filme, Jack apresenta a missão de convencer rapidamente o Presidente dos Estados Unidos a ordenar a evacuação do país no sentido de salvar milhões de pessoas que estão em perigo, incluindo o seu filho Sam (Jake Gyllenhaal). Sam encontra-se isolado em Nova Iorque com temperaturas abaixo de zero, Jack tem de fazer uma perigosa corrida contra o tempo para salvá-lo.

O filme

O filme centra-se na problemática da emancipação médica de uma criança de 11 anos que foi concebida com o objectivo de salvar a irmã, Kate (Sofia Vassilieva) que sofre de leucemia promielocítica aguda. Anna (Abigail Breslin) nasceu por fertilização in vitro “programada” para ser uma combinação genética compatível com o organismo da irmã.

Desde o seu nascimento, Anna sofre uma série de intervenções médicas com o intuito de solucionar os inúmeros problemas que vão surgindo na saúde da irmã consequência da sua doença. Qundo Anna tem 11 anos Kate começa a ter insuficiência renal, pelo que o transplante de um rim de Anne a poderia salvar, mais uma vez. No entanto toda a vida de Anne ficaria limitada e comprometida com essa intervenção. Perante isto, Anne procura um advogado para a ajudar a obter emancipação médica e direitos sobre o seu corpo, mesmo que isso signifique não ajudar mais a irmã. Esta história muito emotiva retrata a vida de uma família que faz tudo para sobreviver à doença levantando questões éticas, jurídicas, científicas e médicas muito polémicas nos nossos dias.

Os factos

O Aquecimento global é o processo de aumento da temperatura média superficial global que acontece ao longo dos últimos 150 anos, um fenómeno climático de larga extensão.

O aquecimento global é, segundo a maior parte dos estudos feitos nesta área, uma consequência direta da atividade humana. A intensa atividade industrial do último século, fortemente baseada em combustíveis fósseis, tem levado ao aumento da concentração de CO2 (dióxido de carbono) e outros gases de efeitos de estufa na atmosfera. Na concentração correta, os gases de efeito de estufa são imprescindíveis à nossa sobrevivência, uma vez que absorvem parte da radiação solar refletida pela Terra e mantêm a temperatura média terrestre em torno dos 13ºC, o ideal para o nosso ecossistema. No entanto, a intensa atividade industrial do último século tem elevado consideravelmente a concentração de CO2, como consequência, uma parcela cada vez maior da radiação solar é absorvida, aumentando a temperatura terrestre.

O aquecimento global tem impactos profundos no planeta, na extinção de espécies animais e vegetais, alteração na frequência e intensidade de chuvas (interferindo, por exemplo, na agricultura), elevação do nível do mar e intensificação de fenómenos meteorológicos (por exemplo: tempestades severas, inundações, ondas de calor, secas prolongadas), entre outros.

Até ao momento, o maior esforço feito para combater o aquecimento global reflete-se no Protocolo de Quioto, que tem como objetivo manter o aquecimento global abaixo dos 2ºC, de modo a evitar alterações irreversíveis no nosso ecossistema.

O Estranho Caso de Benjamin Button 

O Estranho Caso de Benjamin Button

Hoje a Biocas vai falar-te do filme “The Curious Case of Benjamin Button” (O estranho caso de Benjamin Button), realizado pelo norte-americano David Fincher, em 2008.

O filme

Este filme conta a história de Benjamin Button, nascido em 1918, com uma doença rara, síndrome de progeria, que se caracteriza pelo envelhecimento precoce e acelerado em crianças. Estas crianças apresentam características físicas e patologias associadas a uma pessoa idosa. No filme, a mãe de Benjamin morre durante o parto e o pai ao observar o bebé, com aspeto e doenças de uma pessoa de 80 anos, abandona-o à porta de um orfanato.

No entanto, os aspetos relacionados com a doença só são revelados nos primeiros anos de vida de Benjamin Button, quando possui características de um idoso, uma vez que no filme, Benjamin vai rejuvenescendo à medida que os anos passam, o mesmo não acontece com os indivíduos com o síndrome de progeria.

Ao longo dos anos, Benjamin vai relatando todas as peripécias, encontros e desencontros que o desenvolvimento inverso provoca na sua vida. Benjamin descobre o amor, no entanto esse amor apenas é possível num curto espaço de tempo, uma vez que o resto das suas vidas é feita de desencontros, provocados pelo envelhecimento de um e o rejuvenescimento do outro.

Os factos

O síndrome de Hutchinson-Gilford, denominado por progeria, é uma doença rara de origem genética, afeta 1 em cada 4 a 8 milhões de crianças e caracteriza-se pelo envelhecimento precoce e acelerado. A palavra progeria deriva do grego “pro”, que significa precoce e “geras” que significa envelhecimento.

Os pacientes apresentam características comuns, como: baixa estatura, baixo peso corporal, perda precoce de cabelo, lipodistrofia, esclerodermia, arteriosclerose, artrose e características faciais típicas de pessoas idosas. O desenvolvimento cognitivo nestes pacientes não sofre alterações. O comprometimento cardiovascular, nesta patologia, é o grande responsável pela morte precoce dos pacientes.

A patologia resulta, na sua maioria, de uma mutação pontual na posição 1824 do gene lâmina A (LMNA), no exão 11 do cromossoma 1. O gene LMNA codifica os principais componentes da lâmina nuclear, presente no invólucro nuclear que controla a estrutura do núcleo das células. A mutação provoca a formação de uma proteína anormal denominada de progerina. Esta é tóxica para a célula, acumula-se nas células causando defeitos moleculares progressivos, incluindo alterações do formato nuclear, desorganização da cromatina, danos no ADN e atraso na proliferação celular.

O diagnóstico inicial consiste na observação de sintomas, após a avaliação clínica, é possível realizar testes genéticos para detetar a mutação responsável pela doença. Ainda não existe cura nem um tratamento realmente eficaz para o tratamento desta patologia, são utilizados medicamentos apenas para amenizar as manifestações sintomáticas. Ao longo dos anos têm sido realizadas diversas investigações, a descoberta do gene responsável pela patologia permitiu identificar um tratamento potencial para crianças com progeria, usando um grupo de medicamentos denominado de inibidores de farnesiltransferase, com o objetivo de bloquear a produção de progerina.

É importante que, novas investigações sejam realizadas e divulgadas, para que haja um melhor conhecimento por parte das pessoas, para estimular o incentivo à investigação, melhorar a qualidade de vida dos doentes e principalmente, para que no futuro haja um tratamento eficaz para esta patologia.

Juventude Inquieta 

Os Crimes dos Rios de Púrpura

Hoje a Biocas vai falar-te sobre o filme “Os Crimes dos Rios de Púrpura” (Les Rivières Pourpres, realizado por Mathieu Kassovitz, França, 2000). Além de te contar um pouco da história do filme, vai explicar-te alguns conceitos e ideias abordados.

O filme

Numa remota universidade nos Alpes Franceses esconde-se um terrível segredo. O isolamento da universidade é tão extremo, que os professores têm vindo a casar dentro do grupo durante muitas gerações, e tornaram-se numa sociedade fechada. Nesta universidade de elite, é dado um valor tão grande ao esforço físico e intelectual que chega a ser suspeito.

Os factos

Neste filme é abordado o tema de inbreeding. Em Biologia, o termo inbreeding (em português corresponde, genericamente, a consanguinidade) refere-se, ao processo pelo qual um organismo (animal ou planta) se reproduz dentro do seu próprio grupo ou família.

Entre humanos, o inbreeding é também associado ao termo endogamia que significa prática de casamento entre indivíduos com relações de parentesco, do mesmo grupo social, classe ou etnia. A endogamia tem sido considerada por alguns como uma forma de alcançar a eugenia. A eugenia é uma ideologia que defende o melhoramento de qualidades da raça humana por controlo da reprodução, como, por exemplo, através da endogamia entre os considerados mais saudáveis, mais inteligentes. Se praticada repetidamente, a endogamia leva, com frequência, à diminuição da diversidade genética e ao aumento da probabilidade de duas cópias de um dado gene serem idênticas (porque derivam do mesmo ancestral) e, portanto, de o indivíduo ser homozigótico para esse gene. Isto não constitui, só por si, um problema.

Mas existem exemplos de doenças genéticas que só se manifestam se determinado gene estiver presente nos dois cromossomas (chamam-se doenças recessivas). É por esta razão que pode ocorrer a chamada depressão genética, que é caracterizada por indivíduos com graves problemas de saúde, bem como com baixos níveis de fertilidade.

Os investigadores acreditam que a maioria das mutações ocorreram quando havia uma pequena população de hominídeos (julga-se que cerca de 10.000 indivíduos). Porque havia um número limitado de parceiros, a ocorrência de inbreeding era inevitável, e a selecção natural não conseguiu eliminar essas mutações perigosas. Tal terá tornado os homens modernos mais vulneráveis a doenças genéticas.

Para a minha irmã 

Para a minha irmã

Hoje a Biocas vai falar-te do filme “Para a minha irmã” (My sister´s keeper, realizado por Nick Cassavetes, EUA, 2009). Para além do resumo da história vais poder ter acesso a alguma informação científica mais pormenorizada de temas abordados durante a trama.

O filme

O filme centra-se na problemática da emancipação médica de uma criança de 11 anos que foi concebida com o objectivo de salvar a irmã, Kate (Sofia Vassilieva) que sofre de leucemia promielocítica aguda. Anna (Abigail Breslin) nasceu por fertilização in vitro “programada” para ser uma combinação genética compatível com o organismo da irmã. Desde o seu nascimento, Anna sofre uma série de intervenções médicas com o intuito de solucionar os inúmeros problemas que vão surgindo na saúde da irmã consequência da sua doença. Qundo Anna tem 11 anos Kate começa a ter insuficiência renal, pelo que o transplante de um rim de Anne a poderia salvar, mais uma vez. No entanto toda a vida de Anne ficaria limitada e comprometida com essa intervenção. Perante isto, Anne procura um advogado para a ajudar a obter emancipação médica e direitos sobre o seu corpo, mesmo que isso signifique não ajudar mais a irmã. Esta história muito emotiva retrata a vida de uma família que faz tudo para sobreviver à doença levantando questões éticas, jurídicas, científicas e médicas muito polémicas nos nossos dias.

Os factos

A leucemia promielocítica aguda (LPA) é um tipo de leucemia – neoplasia maligna em células do sangue (leucócitos) – que afecta a linhagem mielóide. As células anómalas não conseguem desempenhar a sua função. Esta neoplasia é caracterizada por ter um rápido início e progressão. A patologia é caracterizada por ter sintomas como a febre, fraqueza ou fadiga, dor de cabeça, manchas na pele, hemorragias frequentes, dor nos ossos e articulações, infecções entre outras. A nível genético, o que origina a leucemia promielocítica aguda é uma translocação do gene que codifica o receptor alfa do ácido retinoico (RARα) no cromossoma 17. Na maioria dos casos este gene sofre uma translocação com o gene da leucemia promielocítica no cromossoma 15. Isto leva à acumulação de promielócitos atípicos na medula óssea e sangue, substituindo as células sanguíneas normais. Outro assunto polémico também abordado no filme é a questão ética da criação de “bebés-remédio” por fertilização in vitro. Se por um lado é fantástico o poder que a ciência e a medicina actuais têm de salvar a vida de alguém, e neste caso específico de uma criança, por outro lado não se pode esquecer que esse facto acarreta situações anormais na futura vida do bebé “salva-vidas”. O panorama mais pacífico será apenas o transplante de células do cordão umbilical do bebé para aplicações terapêuticas no doente mas podem ocorrer situações bem mais intrusivas e dolorosas como o transplante de medula e até de órgãos.

Super size me 

Super Size Me

Hoje a Biocas vai falar-te do filme “30 Dias de Fast Food” (“Super Size Me” – realizado por Morgan Spurlock, EUA, 2004)

O filme

Morgan Spurlock teve a ideia de fazer este documentário quando viu na televisão uma notícia sobre as famílias de duas meninas que iam processar a cadeia McDonald´s, por esta ser a responsável pelo seu excesso de peso. Serão realmente as cadeias de fast food responsáveis pelo rápido aumento de obesidade nos Estados Unidos da América, que o diretor do serviço público de saúde declarou como "epidemia"?

O filme destaca a McDonald´s como um dos representantes desta indústria alimentar, que criou tamanhos exagerados de porções e que, sempre que possível, incentiva o consumo de mais e maiores porções, fazendo com que a população consuma muito além do necessário para uma alimentação saudável.

Como tal, o realizador idealizou um plano, durante 30 dias a sua alimentação será feita exclusivamente em restaurantes da McDonald´s (três refeições por dia) e sempre que o aconselharem, comerá a versão “Super Size”, que corresponde a um hambúrguer, uma bebida gigante e um pacote de batatas fritas grande.

Antes de pôr em prática a sua ideia, Spurlock faz uma série de testes médicos para poder acompanhar os progressos da sua saúde ao longo deste desafio. No início, era um indivíduo saudável, comia uma dieta variada, era magro e media 188 cm de altura com um peso de 84,1 kg.

Após os primeiros dias, os resultados começam a ser bem visíveis: aumento de peso, colesterol e triglicerídeos disparam para valores elevados e o bem-estar geral de Spurlock começa a ficar comprometido.

Ao fim de duas semanas, Spurlock começa a pôr a sua saúde em risco e os próprios médicos aconselham-no a não cumprir a missão até ao final, sob o risco de sofrer danos irreparáveis.

Contudo, ele continua e termina, ao fim de 30 dias, com mais 11,1 kg e um aumento de 13% de massa corporal (23,2% - saudável para 27 - sobrepeso). Spurlock, que chegou a consumir em média 5000 kcal (o equivalente a 6,26 Big Mac) por dia, ficou com danos no fígado, cansava-se mais facilmente, tinha repentinas mudanças de humor, sentia-se viciado na comida do McDonald´s, etc. Precisou de catorze meses para perder o peso que havia ganho.

Os factos

Este filme sendo um documentário tem por base estudos, histórias e personagens verdadeiras.

O “Super Size Me” é um filme fascinante que documenta os efeitos que a fast food tem na saúde física e psicológica de uma sociedade e explora a influência das indústrias de comida rápida. O documentário permite-nos antever e alertar para os perigos deste tipo de comida, quando ingerida sem qualquer tipo de restrições.

Quando se vê o filme pode pensar-se que é levado ao extremo, no entanto, a realidade por vezes não anda assim tão distante. Em vários testemunhos do documentário há algo que fica patente, não são as cadeias de fast food que obrigam as pessoas, apesar de terem campanhas de marketing “agressivo”, as próprias pessoas é que são responsáveis pelas suas escolhas.

As autoridades de saúde europeias mostram-se muito preocupadas com a evolução da obesidade na Europa não só em adultos, mas também em crianças, referindo que os índices de obesidade nos países membros da União Europeia mais do que duplicaram nas últimas duas décadas e, não há evidências de que o aumento da prevalência de excesso de peso/obesidade esteja a abrandar ou a diminuir.

Segundo estudos recentes, mais de metade da população portuguesa (53%), tem excesso de peso, sendo que desses, 14,5% da população é obesa. Relativamente à obesidade infantil, Portugal encontra-se numa das posições mais desfavoráveis no cenário europeu. É um dos países com maior prevalência, 30% das crianças apresentam excesso de peso, sendo mais de 10% obesas, apresentando igualmente uma das mais elevadas prevalências de inatividade física da União Europeia.

Sendo reconhecida atualmente como um grave problema de saúde pública, muitos são os estudos que os cientistas dedicam à obesidade, nomeadamente:

- O que os alimentos nos fornecem, de modo a permitir-nos fazer escolhas alimentares mais saudáveis;
- Causas da doença, de modo a evitá-la;
- Modos de combater e/ou atenuar os problemas associados à obesidade, entre eles: asma, artrite, doenças cardiovasculares, apneia do sono, vários tipos de cancro, diabetes, hipertensão, colesterol e triglicerídeos elevados;
- Modos de, instalada a doença, combatê-la ou atenuá-la.

Contudo todos os envolvidos e conhecedores desta “epidemia” que é a obesidade, referem e concordam que os hábitos alimentares saudáveis e a prática de exercício físico regular são os melhores aliados no seu combate.

Uma Mente Brilhante 

Uma Mente Brilhante

Hoje a Biocas vai falar-te do filme “Uma Mente Brilhante”, dirigido por Ron Howard, EUA, 2001.

O filme

O filme baseia-se na história verídica de John Nash, um matemático brilhante que sofre de esquizofrenia, cujas ideias influenciaram as teorias económicas, a biologia da evolução e a teoria dos jogos.

A história inicia-se com a entrada de John para a Universidade onde se destaca pela sua inteligência e pelo seu estranho comportamento social. Durante os seus anos de estudo, John procura de forma obstinada, uma nova teoria com o objetivo de obter reconhecimento científico, nesta altura sofre a sua primeira alucinação, acreditando ter um colega de quarto, o Charles. Com o tempo acaba por desenvolver a sua teoria, ao opor-se ao conceito clássico de Adam Smith, a Teoria de jogos não corporativos. Devido ao seu brilhantismo, ao terminar o curso é convidado para trabalhar num prestigiado Instituto, onde acaba por lecionar, conhecendo Alicia, uma das suas alunas, com quem acaba por casar.

Ao longo de toda a história John vive histórias paralelas, a vida real e as histórias criadas pela sua mente. Através dos seus delírios imagina que faz parte de uma operação secreta de Estado, sendo contratado para decifrar códigos no período da guerra-fria. John fica cada vez mais paranoico e agitado, acabando por ser internado num hospital psiquiátrico, onde é diagnosticado com esquizofrenia.

A partir desse momento apercebe-se que Charles, o seu colega de quarto, e as missões não eram reais, eram alucinações causadas pela esquizofrenia. Através da sua força e inteligência decide lutar para curar-se e livrar-se das alucinações, criando estratégias para evitá-las e controlá-las.

Sempre com o apoio de Alicia, John volta à Universidade de Princenton e o seu reconhecimento acaba por se concretizar em 1994, quando vence o Prémio de Ciências Económicas.

Os factos

A esquizofrenia é uma doença mental grave e incapacitante, caracterizada pela perda de contacto com a realidade (psicose), alucinações, delírios, pensamento anormal e alteração do funcionamento social e laboral.

Em Portugal, existem cerca de 100 mil doentes esquizofrénicos, ou seja, cerca de 1% da população nacional, números que acompanham a prevalência a nível mundial.

A esquizofrenia é de origem multifatorial onde os fatores genéticos e ambientais parecem estar associados a um aumento no risco de desenvolver a doença. Os primeiros sinais e sintomas da doença aparecem mais comummente durante a adolescência ou início da idade adulta. Apesar de poder surgir de forma abrupta, o quadro mais frequente inicia-se de maneira insidiosa.

Os aspetos mais característicos da esquizofrenia são alucinações e delírios, transtornos de pensamento e fala, perturbação das emoções e do afeto e défice cognitivo.

Os delírios são crenças falsas, de natureza desconhecida, que não são partilhadas pelo resto da sociedade. Uma alucinação surge quando alguém vê, ouve, saboreia ou sente coisas que na verdade "não existem".

O termo transtorno do pensamento refere-se a uma doença no conteúdo, assim como na forma dos pensamentos do indivíduo, demonstrando uma incapacidade de organizar o pensamento numa sequência lógica. A perturbação das emoções inclui frieza, pobreza de expressão, anedonia e associabilidade. A anedonia é caracterizada pela diminuição da capacidade de experimentar prazer; o indivíduo mostra pouco interesse em atividades que anteriormente gostava de realizar e a associabilidade abrange a perda de prazeres como estar com os amigos ou outras pessoas.

Pacientes com esquizofrenia demonstram um défice cognitivo generalizado, ou seja, apresentam níveis baixos de desempenho numa variedade de testes cognitivos. As alterações cognitivas seletivas mais proeminentes na esquizofrenia incluem défice de atenção, memória e resolução de problemas.

Os medicamentos e outros tratamentos para a esquizofrenia, quando usados regularmente e de acordo com a prescrição, permitem controlar os sintomas incapacitantes da doença. Os fármacos, denominados de antipsicóticos, ajudam a reduzir ou a eliminar os delírios, as alucinações e o pensamento desorganizado, reduzindo substancialmente a probabilidade de episódios futuros.

Um Novo Despertar 

Um Novo Despertar

Hoje a Biocas vai falar-te do filme “Um Novo Despertar”, dirigido por Jodie Foster, EUA, 2011.

O filme

O filme “Um Novo Despertar” é um drama onde o protagonista, Walter Black, presidente de uma indústria de brinquedos, entra em depressão e nenhum tratamento parece eficaz.

A doença afasta-o da esposa, Meredith, e dos seus dois filhos, acabando por sair de casa. Durante uma tentativa de suicídio, provocado pela depressão, Walter acaba por ser peculiarmente salvo por um fantoche de castor, que encontra no lixo. O castor será uma grande ajuda para Walter conseguir ultrapassar a fase de depressão. A partir desse momento, já com o castor, o protagonista assume uma nova identidade e passa a comunicar através do boneco. O castor permite que Walter volte à vida, no trabalho e junto da família, mas aos poucos ele passa a sofrer um conflito de identidades. O que parecia ser uma salvação, acaba por se tornar uma obsessão e a vida de Walter volta a entrar em conflito.

Os factos

A depressão é uma doença psiquiátrica que afeta inúmeras pessoas em diferentes fases da vida, caracteriza-se pelo sentimento de tristeza, perda de interesse por atividades habitualmente sentidas como agradáveis e perda de energia ou cansaço fácil.

É um dos distúrbios mentais mais frequentes, estima-se que 4 a 24 % da população mundial sofre de depressão, sendo mais comum nas mulheres do que nos homens. É importante que o diagnóstico e o tratamento sejam realizados de forma adequada, uma vez que, se não for tratada, pode conduzir ao suicídio, uma consequência frequente da doença.

A depressão pode ser episódica, recorrente ou crónica, conduzindo à diminuição substancial da capacidade do indivíduo em assegurar as suas responsabilidades do dia a dia. A doença pode durar desde alguns meses a alguns anos. Torna-se uma doença crónica, essencialmente, em situações em que não existe um tratamento adequado.

Existem diversos fatores que influenciam a predisposição de um indivíduo para desenvolver depressão, como a predisposição familiar (fatores hereditários), os efeitos secundários de alguns tratamentos, uma personalidade introvertida e acontecimentos emocionalmente desagradáveis. Diversos estudos detetaram a presença de alterações químicas no cérebro dos indivíduos com depressão, principalmente ao nível dos neurotransmissores (serotonina, noradrenalina e dopamina), substâncias que transmitem impulsos nervosos entre as células. A dopamina é um neurotransmissor que atua em regiões do cérebro promovendo, entre outros efeitos, a sensação de prazer e motivação.

Alterações nos seus níveis estão associadas a muitas desordens psíquicas, desempenhando um papel determinante na regulação e controlo do movimento, motivação e cognição.

Existem, essencialmente duas formas de tratamento que registam boas taxas de sucesso: a farmacológica (que requer acompanhamento psiquiátrico) e a intervenção psicoterapêutica de abordagem cognitivo-comportamental que consiste no acompanhamento terapêutico permitindo, o tratamento de outras desordens que possam existir e que são responsáveis pela depressão. No entanto, a escolha do tratamento depende do diagnóstico, da gravidade dos sintomas e das preferências do doente.

A Organização Mundial da Saúde resolveu criar, em parceria com o escritor e ilustrador Matthew Johnstone, um vídeo de animação que mostra de forma simples e direta o que é a depressão e, o mais importante, como é possível livrar-se dela.

 

 

TOPO DA PÁGINA